27 JUN 2022 | ATUALIZADO 08:59
POLÍTICA
26/05/2022 18:23
Atualizado
26/05/2022 18:23

“As pessoas precisam ter o direito de viver e amar do jeito que desejam”

A+   A-  
Durante a sessão plenária na Assembleia Legislativa do RN desta quinta-feira (26), a deputada estadual Isolda Dantas (PT) voltou a pedir justiça nos casos dos homicídios de Bruno, Hadison e Eliel, jovens assassinados em Mossoró, crimes cujas famílias acreditam que tenham sido mortos por homofobia. “Temos uma luta por uma sociedade igual, de paz (...). Ninguém pode ter o direito de tirar a vida do outro”, disse.
Imagem 1 -
FOTO: JOÃO GILBERTO

Durante a sessão plenária na Assembleia Legislativa do RN desta quinta-feira (26), a deputada estadual Isolda Dantas (PT) se solidarizou com as famílias de três jovens assassinados em Mossoró.

“Quero me solidarizar com todas as famílias dos jovens Bruno, Hadison e Eliel, que foram assassinados em Mossoró nos últimos dois meses. E chamo atenção porque eles foram assassinados porque eram homossexuais. Temos uma luta por uma sociedade igual, de paz, as pessoas precisam ter o direito de viver e amar do jeito que desejam. E ninguém pode ter o direito de tirar a vida do outro”, disse.

Os crimes, relatou Isolda, causaram indignação na sociedade que se reuniu no domingo passado em ato pedindo justiça. A deputada encerrou sua fala registrando requerimento de sua autoria.

“Estamos requerendo ao Governo do Estado, e à Polícia Civil, que possa designar um delegado para investigar esses crimes”, ressaltou.

OS CASOS

Bruno Alisson do Nascimento, de 35 anos, e Hadison Caio Marcelino, 29 anos, foram mortos em Mossoró (RN) de forma semelhante, asfixiados com um fio.

Os dois foram assassinados após marcar encontros por meio do aplicativo de relacionamento.

Eliel Ferreira Cavalcante Júnior, de 25 anos, foi morto com 9 tiros em uma perseguição em frente a um condomínio em Mossoró.


Notas

Tekton

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário