17 SET 2019 | ATUALIZADO 19:35
MOSSORÓ

Coordenadora do ITEP mostra que precisa de uma sede nova em Mossoró

Wberlhane Pereira recebeu no final de semana passado a visita da deputada Isolda Dantas e do senador Jean Paul Prates, do PT, e mostrou a estrutura e a importância do órgão para a produção de provas nas investigações criminais
CEZAR ALVES
19/08/2019 08:17
Atualizado
19/08/2019 09:59
A+   A-  
Imagem 1 -
FOTO: CEZAR ALVES

A atual estrutura do Instituto Técnico-científico de Perícia (ITEP), sediada em Mossoró/RN, não comporta mais a demanda de trabalho da região Oeste do Estado. Precisa, com relativa urgência, de uma nova sede, projetada e construída, para fins de perícia forense.

Construído e instalado na década de setenta, o prédio do ITEP chega a examinar de 400 a 500 corpos/ano vítimas de violência, algo que na época que foi construído não chegava a 30. A população das cidades cresceu e com ela a violência urbana em todos os sentidos.

A coordenadora regional do ITEP, Wberlhane Pereira da Silva, recebeu no final de semana passada a deputada Isolda Dantas e o senador Jean Paul Prates, ambos do PT, que ficaram preocupados com o quadro, que termina por inviabilizar investigações criminais.

Ao lado do médico legista Isac Axel, Wberlhane Pereira mostrou que as salas são pequenas e totalmente inadequadas para o trabalho dos peritos e legistas. Não existe segurança para o profissional e menos ainda para quem precisa do serviço.

Além da expedição de Registro Geral, na sede do ITEP também são realizados exames em vítimas de violência sexual e de todos os presos do sistema estadual e federal em Mossoró. São atendidos numa salinha pequena, sem estrutura nenhuma de segurança.

Os corpos vítimas de violência, seja qual for, passam por exames no ITEP. Neste caso, uma média de 400 a 500 ao ano passam por exames numa sala totalmente inadequada, no que se refere a luz e ventilação. “As vezes temos que esperara luz do dia”, diz Isac Axel.

A coordenadora regional Wberlhane Pereira da Silva e o médico legista Isac Axel mostraram um quadro preocupante a deputada Isolda Dantas e ao senador Jean Paul Prates que já dura décadas, que atualmente atrasa e dificulta as investigações criminais.

As perícias balísticas, ou seja, em armas, são realizadas num stand de tiros com troncos de carnaúba. Não tem como realizar os exames de micro comparação balística. “Este tipo de exame é enviado para ser feito em Natal e quando chega, quase sempre é tarde”, reclama.

O setor que os peritos avaliam funcionalidade das armas apreendidas pela polícia se tornou tão pequeno e inadequado, quem muitas das vezes não tem como ser realizado.

A diretora Wberlhane Pereira da Silva disse que do exame forense mais simples ao mais complexo são fundamentais nas investigações criminais. De fato, só na Divisão de Homicídios de Mossoró são mais de 800 inquéritos policiais aguardando conclusão.

Wberlhane Pereira explicou aos parlamentares que sem o suporte de perícia forense, o sistema judicial não tem como dá uma resposta a altura do que está acontecendo, em especial no combate a violência, a sociedade mossoroense e da região Oeste do Rio Grande do Norte.

Mesmo diante do quadro de estrutura precário, inadequado, os servidores do ITEP realizam um esforço sub-humano para atender, da melhor forma possível, as demandas de investigação criminal na região, seja de homicídio, trânsito ou sexual.

A diretora e demais servidores do ITEP pediram ajuda dos parlamentares para construir uma sede nova para o ITEP e não sendo possível, pelo menos ajuda para instalar um raio x, um stand de tiros adequado, enfim, melhorar a estrutura de trabalho dos profissionais.

Para Isolda Dantas e o senador Jean Paul, o quadro que o atual governo recebeu o Estado é muito debilitado em todos os setores. “Em muitos dos casos é preciso começar o zero, construir uma nova estrutura, como é o caso do ITEP”, diz Isolda Dantas.

O senador Jean Paul Prates, que é especialista em petróleo e energias renováveis, disse que está conhecendo a estrutura de segurança e saúde do Estado e que vai trabalhar junto com Isolda Dantas para reverter este quadro. Reconhece que não é tarefa fácil.

Veja maisO sonho da sede própria do 12º BPM começa a ganhar corpo em Mossoró


O HRTM

Durante a visita ao ITEP, o senador Jean Paul Prates e Isolda Dantas conversaram com a diretora geral do Hospital Regional Tarcísio Maia, Herbênia Ferreira, e com diretor administrativo, Valmir Alves. O senador e a deputada disseram que será agendada uma visita ao HRTM para conhecer a estrutura e buscar soluções.

“O quadro é muito preocupante”, acrescenta Herbenia Ferreira, que pediu ajuda dos parlamentares para instalar um sistema de resfriamento de água e renovar a rede elétrica do hospital regional, melhorando assim as condições de trabalho dentro da unidade.


Notas

News Center

Publicidades

MOSSORÓ Vanderlanio

Outras Notícias

Deixe seu comentário